Blog

3 motivos para ver a tecnologia como uma aliada da educação de seu filho!

Cadastre-se

E receba conteúdos exclusivos!

O mundo do século 21 se tornou mais conectado do que podíamos imaginar. A situação chegou ao ponto de estarmos 24 horas ligados, sempre atentos a informações de todos os tipos que podem irromper em nossas vidas. Muitas pessoas estão acostumadas a ver a tecnologia dessa forma, entretenimento, forma de comunicação imediata, fonte de conhecimento e de notícias, etc.

Ainda assim, por que parece um desafio tão grande conectar tecnologia e educação?
Talvez pela sensação de que a tecnologia é uma distração, um conjunto de desvios em relação ao aprendizado? Ou mesmo pelos desafios existentes na tarefa de integrar as ferramentas, em direção de uma otimização e melhoria do ensino?

Mais do que encontrar as razões desse desafio, queremos incentivar uma visão mais positiva da integração da tecnologia na educação das crianças e adolescentes e, por isso, preparamos esse artigo com 3 motivos para te empolgar a ver a tecnologia como uma aliada da educação de seu filho!

 

1 – Uma educação mais ativa

Fomos criados em um formato educacional tradicional. O professor fala na frente da sala de aula e anotamos, absorvemos, prestamos atenção. No entanto, esse formato, que nos parece o mais adequado até hoje, não tem mais os mesmos efeitos no mundo em que vivemos.

Na verdade, é por isso que muitas escolas insistem em tentar banir a tecnologia de suas salas de aula, contribuindo para a imagem de que os aparelhos são inimigos da atenção dos alunos, defendendo a duras penas o modelo tradicional de educação. Desliguem os celulares!

Apesar disso, os tempos mudam, e nem sempre para pior. A tecnologia pode ser uma grande aliada para um formato de educação mais ativo! Novas tendências educacionais estão surgindo e adquirindo uma potência inédita recentemente. São propostas nas quais existe uma dinâmica mais acentuada entre professores, que se tornam guias, coachs, lidando diretamente com alunos que são parte integrante da vida educacional e não apenas recebem informação.

A internet produziu um imenso oásis de informação, acessível a partir de qualquer toque, colocando verdadeiras universidades e bibliotecas dentro dos bolsos dos jovens. As aulas, embaladas pela comunicação de alto nível, possível graças às novas ferramentas, tem a possibilidade de se tornarem mais próximas de debates, resolvendo problemas tradicionais como alunos introspectivos ou deslocados e que têm problemas para aprender.

Apps e dispositivos podem, sim, melhorar a educação desde que os professores façam parte do processo, ao invés de simplesmente negarem a imersão cada vez maior desses dispositivos nos bolsos de seus alunos. Os alunos vão, de um jeito ou de outro, olhar para seus aparelhos, então por que não pensamos em modos de eles olharem para as telas, mas procurando por outras coisas?

Isso não significa que os professores devem ser substituídos por tutoriais no YouTube, porém existem potenciais não totalmente explorados na possibilidade de diversos saberes que confluem em uma experiência educacional mista, mais ativa e colaborativa. As telas, além disso, tem uma característica fundamental: elas mostram em vez de falar! Gráficos, imagens e animações podem contribuir imensamente para melhorar o engajamento entre os alunos e o conteúdo! Essa característica pode aumentar muito o nível de atenção de crianças e adolescentes nas escolas.

 

2 – A esfera afetiva mais próxima da educação

Existem muitos estudos sendo feitos a respeito do uso da tecnologia no meio educacional, e de certa forma todos apontam para uma direção: a tecnologia pode ajudar, sim, mas somente por meio da presença ativa de pais e professores.

Uma pesquisa recente, feita por um grupo de pesquisadores da Universidade de Brunel, em Londres, buscava definir formas de positivar a relação entre tecnologia e educação. Fizeram uma experiência com uma turma de estudantes que aprendiam conceitos de física, como a gravidade.

Para isso, criaram um website e incentivaram o grupo, formado por pais e alunas, a realizarem alguns exercícios em casa a respeito da forma como mediam e mensuravam as coisas. Atividades feitas mesmo antes dos professores ensinarem a matéria em sala de aula! Os resultados eram monitorados pelos pesquisadores e professores nesse website, que servia como uma forma de conexão entre diferentes famílias e, especialmente, entre professores e pais.

Sistemas como esse permitem que os pais (muitas vezes ocupados e sem tempo) possam acompanhar o conteúdo que seus filhos aprendem na sala de aula e, consequentemente, insiram as problemáticas aprendidas no ambiente extraescolar.

Não à toa, os pesquisadores chegaram à conclusão que o uso inteligente da tecnologia, com a criação de mecanismos como o website em questão, pode aproximar enormemente professores, pais e alunos em uma experiência educacional inovadora. Aproximar a “esfera afetiva” do processo educacional pode ser um grande incentivo no aprendizado.

 

3 – O aprendizado se torna mais instigante e divertido

Prender a atenção dos alunos sempre foi um grande desafio para os professores e, não é de se espantar que os celulares têm uma facilidade imensa de pregar os olhos dos jovens nas suas telas brilhantes.

A tecnologia tem a capacidade incrível de gerar engajamento, criar relação. Imagine, por exemplo, o surgimento dos primeiros videogames. Até ali a invenção da televisão tinha sido um grande passo no mundo das comunicações. Era possível ver, ouvir e ser transportado para outros lugares do mundo sem sair da sala. Apesar disso, assistir TV é uma atividade um tanto passiva. Os videogames possibilitaram uma relação com o mundo virtual fosse possível de maneira mais direta. De repente, era possível engajar-se de uma nova forma com as telas!

É por esse motivo que muitas escolas buscam se modernizar investindo em tablets específicos, utilizados em salas de aula em sistemas online, que integram a experiência escolar e a tecnológica. Outras têm investido no ensino da programação, que pode ser uma grande aliada no aprendizado da lógica e do lado interno da tecnologia. Adiciona-se a isso a grande emergência dos videogames como aliados da educação!

Os games podem transformar desafios aparentemente enfadonhos, como aprender conceitos complexos ou realizar cálculos difíceis, em verdadeiros desafios, com respostas criativas por parte das crianças. Os jogos oferecem um grande potencial de desenvolver a capacidade de resolução de problemas.

É claro que, mais uma vez, essa estratégia deve ser acompanhada pelos professores e pais. Não adianta seu(a) filho(a) jogar Candy Crush o dia todo para que isso seja motivo de aprendizado! Tudo deve ser dosado e pensado.

Além disso, novas tecnologias como a Realidade Virtual e Realidade Aumentada tem tudo para entrar de vez nos programas de escolas em um futuro breve. Imagina ir para o mundo dos dinossauros em uma aula sobre dinossauros? Ou aprender sobre física em ambientes espaciais? Sobre história visitando momentos do passado? Acho que deu para pegar a grandeza da ideia!

Existem muitas outras formas pelas quais a tecnologia pode auxiliar nos processos educacionais, aqui sugerimos algumas para você pensar um pouco no tema! Se ainda quer ler mais, dê uma olhada nos conteúdos originais que a Buddys tem trazido aqui no blog, tem bastante coisa sobre tecnologia e educação!


Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *